this is an h1

this is an h2

Tue Oct 25 14:02:48 BRT 2022
Empreendedorismo | DESENVOLVIMENTO SOCIAL
O posicionamento do Sebrae quanto aos negócios sociais

O Sebrae apoia os negócios sociais, que contribuem para o desenvolvimento sustentável e fortalecem as pequenas empresas.

· 17/12/2013 · Atualizado em 25/10/2022
Imagem de destaque do artigo
FAVORITAR
Botão favoritar

Negócios sociais são empresas financeiramente autossustentáveis, que não distribuem dividendos e que têm como missão solucionar um problema social.

Nesse sentido, o Sebrae entende negócios sociais como iniciativas financeiramente sustentáveis, geridas por pequenos negócios, com viés econômico e caráter social e/ou ambiental, que contribuam para transformar a realidade de populações menos favorecidas e fomentem o desenvolvimento da economia nacional.

Assim, o Sebrae concentra esforços para estimular, atender e apoiar pequenos negócios que buscam agregar uma nova dimensão ao ambiente empresarial e despertar uma nova consciência frente à sociedade, respondendo a problemas concretos dos cenários econômico e social do país.

A atuação do Sebrae com negócios sociais têm aderência à sua missão e visão de contribuir para o desenvolvimento sustentável e para a construção de um Brasil mais equitativo pelo viés do fortalecimento das micro e pequenas empresas.

Os negócios sociais sob a perspectiva do Sebrae

No entendimento do Sebrae, negócios sociais vão além de oferecer produtos e serviços a um custo acessível à população da base da pirâmide. Por exemplo, uma empresa de grande porte que está instalada em uma comunidade de baixa renda e que oferece seus produtos para a população local não é considerada um negócio social.

O Sebrae também não considera negócios sociais empresas que mantêm sua estrutura tradicional e se utilizam da mão de obra barata de pequenos empreendedores, como costureiras e produtores rurais, para oferecer um produto mais competitivo no mercado. Ainda que se apropriem do viés da “sustentabilidade” e pratiquem bons preços, elas não atentam para as formas de precarização das relações de trabalho.

Por outro lado, para o Sebrae, um negócio social não pode ser uma organização do terceiro setor, comumente chamada de ONG, que deseja gerar renda para sua sustentabilidade sem considerar essa atividade como uma estratégia de negócio que gere resultados financeiros que possam ser distribuídos a seus proprietários/acionistas.

Os benefícios dos negócios sociais

O Sebrae entende que os negócios sociais geram diversos benefícios para as comunidades às quais estão vinculados e para a sociedade como um todo. Confira:

  1. Eles combinam o melhor dos negócios tradicionais (dinamismo e eficiência) com o melhor do setor público e filantrópico (consciência e solução de problemas sociais).

  2. Eles não dependem de doações. Ao contrário de ONGs ou de programas de governo, os negócios sociais são financeiramente autossustentáveis, já que suas receitas cobrem seus custos.

  3. Eles mexem com mais dimensões do ser humano. Ao contrário do business tradicional, o negócio social não tem o objetivo de maximizar o valor para seus acionistas.

  4. Eles têm significado e propósito, sendo, por isso, altamente motivadores e libertadores de todo o potencial criativo humano, podendo resultar em grandes inovações.

  5. O dinheiro investido em um negócio social retorna e pode ser realocado em outros negócios sociais. Desse modo, esse investimento é reciclável.

O conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado!

Foi um prazer te ajudar :)

FAVORITAR
Botão favoritar
Precisa de ajuda?

Nós temos especialistas prontos para atender você e o seu negócio de forma online e gratuita.

Acesse agora