this is an h1

this is an h2

Thu Feb 08 16:17:02 BRT 2024
Empreendedorismo | IDEIA DE NEGÓCIO
Planejamento estratégico: o que é e como fazer o seu?

Neste artigo, aprenda o que é planejamento estratégico e confira oito etapas para começar a criar um para o seu negócio.

· 08/02/2024 · Atualizado em 08/02/2024
FAVORITAR
Botão favoritar

O planejamento estratégico é um processo que tem como função definir os objetivos, as metas e as estratégias de uma empresa a partir de seus princípios, como missão, visão e valores, dos recursos disponíveis, da cultura organizacional e dos ambientes interno e externo. 

 

A definição desses elementos é fundamental para entender o perfil da sua empresa, do público e da concorrência, assim como definir as prioridades e os recursos necessários para alcançar as metas. É essa coleta constante de dados que serve de guia para monitorar e avaliar os resultados. 

 

Para começar a criar um planejamento estratégico para o seu negócio, é preciso conhecer as etapas que o compõem. Neste artigo, explicaremos todos os passos a serem seguidos, mostrando que esse processo não precisa ser complicado, pois o Sebrae tem soluções disponíveis para auxiliar empresários e empresárias em todo o caminho.

As principais etapas de criação de um planejamento estratégico

 

Como explicamos durante a introdução, o planejamento estratégico traz os dados que servirão de base para a criação de uma nova empresa ou de um novo projeto dentro de uma empresa que já existe.

 

Acompanhe, agora, as principais etapas que definem o planejamento estratégico (link BP 6 job 46.1 Como fazer um planejamento estratégico para sua empresa? Dicas comprovadas):

 

1.    Análise de mercado e concorrência

 

A análise de mercado e concorrência é uma etapa importante no processo de planejamento estratégico. Isso porque envolve a coleta e a interpretação de informações sobre o mercado, identificando tendências, oportunidades e ameaças e avaliando a concorrência. Essa análise fornece uma base sólida para as decisões estratégicas da empresa.

 

A análise de mercado começa com a identificação do mercado-alvo, ou seja, o grupo de pessoas ou empresas que são mais propensas a comprar os seus produtos ou serviços. Isso ajuda a direcionar estratégias de marketing e vendas de forma mais eficaz.

 

Já a análise da concorrência envolve o estudo detalhado dos concorrentes diretos e indiretos da empresa. Isso inclui identificar seus pontos fortes, fraquezas, estratégias de marketing, participação de mercado e posicionamento.

 

Para a análise de mercado e concorrência, a ferramenta mais comum utilizada é a análise de Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças (FOFA). Essa ferramenta é uma ótima forma de avaliar seus pontos fortes e fracos, bem como as oportunidades e ameaças externas. Isso ajuda a empresa a compreender sua posição no mercado e a desenvolver estratégias que aproveitem seus pontos fortes e mitiguem suas fraquezas.

 

2.    Produto ou serviço

 

Esta é a etapa de definição de tudo o que a empresa oferece ou irá oferecer, ou seja, todos os produtos e serviços. Essa lista deve incluir todos os detalhes, como características únicas, proposta de valor e como esses atendem às necessidades do mercado.

 

3.    Público-alvo e parceiros do negócio

 

Com o mercado e os produtos definidos, é hora de considerar as diferentes partes que irão compor o seu negócio, como público-alvo, parceiros, fornecedores, colaboradores, etc.

 

Conhecer o público-alvo é importante para orientar todas as suas decisões de marketing, vendas e desenvolvimento de produtos e serviços.

 

Quanto aos demais envolvidos no negócio, entender as necessidades e expectativas de todas as partes permite uma colaboração mais eficaz e ajuda na criação de relacionamentos saudáveis.

 

Além disso, quando todas as partes envolvidas estão alinhadas com a missão, a visão e os valores da empresa, a coesão organizacional aumenta, levando a um ambiente de trabalho mais produtivo e harmonioso.

 

4.    Metas, objetivos e indicadores de resultados

 

As metas são marcos com uma duração determinada que auxiliam no desenvolvimento de um projeto. Essas devem ser específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais (SMART). Por exemplo, uma meta pode ser aumentar as vendas em 10% até o final do ano.

 

Objetivos são mais gerais e representam o que deve ser alcançado ou a finalidade de um projeto. Devem estar alinhados com a missão, a visão e os valores da organização. Por exemplo, um objetivo pode ser o reconhecimento como líder de mercado em qualidade e inovação.

 

Já os indicadores de resultados são ferramentas que permitem acompanhar e avaliar o desempenho das metas e dos objetivos. Por exemplo, um indicador de resultado pode ser a taxa de conversão de potenciais clientes em clientes.

 

Esses conceitos permitem que a organização tenha uma direção clara, um foco definido e uma forma de medir o progresso das estratégias. Além disso, facilitam a comunicação interna, o engajamento dos colaboradores, a alocação de recursos e as tomadas de decisão baseada em dados.

5.    Matriz de risco

 

Uma matriz de risco é uma ferramenta usada no planejamento estratégico para identificar, avaliar e priorizar os riscos que uma empresa pode enfrentar durante a execução de suas estratégias.

 

Geralmente, é apresentada em forma de tabela ou matriz, com os riscos listados nas linhas e critérios de avaliação nas colunas.

 

Entre os possíveis riscos que a empresa pode enfrentar ao implementar suas estratégias estão finanças, concorrência, tecnologia, entre outros. Com a enumeração dos riscos, é necessário avaliar a probabilidade da ocorrência desses riscos e o impacto sobre a organização. Esses fatores são frequentemente atribuídos a escalas como alta, média e baixa ou numéricas, por exemplo de 1 a 5.

 

Para os riscos prioritários, é importante desenvolver planos de ação para mitigá-los ou resolvê-los, caso ocorram. Isso pode envolver a criação de estratégias alternativas, planos de contingência ou medidas preventivas.

 

Depois, é necessário monitorar e revisar essas prioridades periodicamente para refletir mudanças nas condições e no ambiente de negócios.

6.    Marketing

 

O marketing é responsável por identificar e criar estratégias para atender às necessidades e aos desejos do público-alvo, posicionar os produtos ou serviços no mercado e promover o crescimento da empresa.

 

Além disso, o marketing ajuda a destacar as características únicas dos produtos ou serviços e a diferenciá-los da concorrência e trabalha na criação de um melhor relacionamento com os clientes, aumentando os níveis de satisfação e fidelização.

 

Clique aqui para saber mais sobre marketing!

 

7.    Recursos pessoais, financeiros e materiais

 

A equipe de colaboradores compõe os recursos pessoais da empresa. (Link BP 1 job 46.1 Construindo uma equipe de sucesso: princípios básicos de gestão de pessoas) Ao planejar estratégias, é importante considerar as habilidades e competências da equipe e garantir a eficácia do planejamento estratégico.

 

Essa também é a etapa de identificação de lacunas de habilidades. Ao encontrar uma falha, ofereça treinamento aos funcionários para prepará-los para o que virá depois das mudanças. 

 

Já os recursos financeiros são o capital disponível para investir no desenvolvimento e na execução das estratégias. Planejar as estratégias requer uma alocação adequada de recursos financeiros para diversas atividades, como marketing, desenvolvimento de produtos, expansão, entre outros.

 

Antes de implementar uma estratégia, é necessário avaliar se esta é financeiramente viável e se trará o retorno esperado sobre o investimento. Durante a implementação, é importante monitorar os gastos e o desempenho financeiro para garantir que o orçamento esteja sendo seguido e que a estratégia esteja contribuindo para a lucratividade.

 

8.    Mensuração e acompanhamento de resultados

 

A mensuração e o acompanhamento de resultados permitem compreender a eficácia das estratégias, avaliando se a empresa se mantém coerente com sua missão, sua visão e seus valores, bem como se as estratégias e ferramentas utilizadas são adequadas.

 

Além disso, é por meio do acompanhamento de resultados que os líderes podem identificar os desvios ou as falhas no planejamento estratégico a tempo de corrigi-los, evitando, assim, desperdícios de recursos e tempo.

 

Por último, ao monitorar os resultados do planejamento estratégico, é possível acompanhar as mudanças no ambiente externo, como as demandas dos clientes, as tendências do mercado e as ações dos concorrentes, e adaptar-se de forma ágil.

 

O papel do Sebrae no planejamento estratégico do seu negócio

 

Neste artigo, você compreendeu a função de um planejamento estratégico e quais etapas o compõem.

 

São muitas informações a serem coletadas e analisadas, e depois, conforme os resultados começam a aparecer, é necessário estudá-los para fazer as adaptações necessárias para cumprir as metas e os objetivos de maneira rápida e sustentável. É bastante trabalho, porém isso trará resultados positivos para sua empresa.

 

O Sebrae tem como objetivo auxiliar empresários e empresárias de micro e pequenas empresas a se desenvolverem e crescerem. Por isso, em nossa Vitrine, você encontra cursos e conteúdos em diversos formatos que explicam cada etapa do planejamento estratégico.

 

Boa sorte!


O conteúdo foi útil pra você? Sim Não
Obrigado!

Foi um prazer te ajudar :)

FAVORITAR
Botão favoritar
Precisa de ajuda?

Nós temos especialistas prontos para atender você e o seu negócio de forma online e gratuita.

Acesse agora

Posso ajudar?